Atenção

“POR CONTA DA LEGISLAÇÃO ELEITORAL A PARTIR DO DIA 05/07/2014 E ATÉ O FINAL DAS ELEIÇÕES ESSE PERFIL NÃO SERÁ ATUALIZADO”.

Anúncios

EE Idene Rodrigues dos Santos

A Escola Idene Rodrigues dos Santos nos dias 14,16 e 30 de maio juntamente com a professora Aline N. de M. Lobo, acompanharam  os alunos das 3ª e 2ª série do Ensino Médio a uma visita de campo ao Museu Egípcio Itinerante em Presidente Prudente, onde os alunos participaram da referida exposição com acervo de 200 esculturas, múmias, sarcófagos, deuses, faraós e pinturas sobre papiros, onde estão representados aspectos relativos à cultura, política, arte, economia e religião da civilização antiga do Egito.

Assistiram também a uma palestra sobre como é feito o papiro e a um espetáculo de Som e Luzes no qual os Deuses e Faraós contam sua própria história.

A visita abordou uma das vertentes do currículo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Parabéns alunos e a professora pelo trabalho.

Ricardo.

Currículo e Prática Docente

nota_cpd_2014

Programa Currículo e Prática Docente 2014 está com1.800 vagas abertas para professores das disciplinas exclusivas do Ensino Médio: Biologia, Filosofia, Física, Química e Sociologia. Serão 360 vagas para cada disciplina e as inscrições podem ser feitas de 29 de maio a 12 de junho.

A formação pretende levar o cursista a refletir sobre a sua prática pedagógica em relação ao Currículo do Estado de São Paulo. Além disso, quer promover a discussão e reflexão sobre a política educacional, propor vivências e a troca de experiências entre os professores; e complementar, se for o caso, a formação específica do cursista quanto à prática pedagógica da disciplina que ele ministra.

As inscrições devem ser feitas pelo hotsite do Programa:
www.escoladeformacao.sp.gov.br/praticadocente

Programa Ensino Integral- EE 9 de Julho- Sociologia

A escola E E 9 de Julho que integra o  Programa Ensino Integral.  No dia 30 de maio,  desenvolveu no Currículo de Sociologia uma apresentação em que o protagonismo juvenil marcou o desenvolvimento de práticas pedagógicas que garantiu uma brilhante apresentação e o envolvimento dos alunos da 2ª  série A, marcou o dia, como tema a Diversidade Cultural Brasileira, os alunos em grupos viajaram pelo Brasil nas cinco regiões socializando a riqueza cultural presente neste país. A professora Adriana mediou o trabalho e apoio a iniciativa dos alunos que organizaram toda apresentação.

Parabéns  Alunos da 2ª série A e a professora Adriana.

1904095_752193948135060_4497826576288835629_n 10004069_752193864801735_5562992783769374652_n 10342475_752194011468387_200184855628452530_n 10435101_752191281468660_6277848106666541474_nRicardo.

Currículo +

 

logo_tec_possibilidades

veja o vídeo:

 

Currículo +

 

O Projeto Currículo+, iniciativa integrante do Programa Novas Tecnologias – Novas Possibilidades da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, desdobra-se a partir da disponibilização de uma plataforma de sugestões de conteúdo digital (vídeos, animações, jogos digitais, simuladores, infográficos e áudios) como recurso pedagógico complementar, selecionados segundo o Currículo do Estado de São Paulo por meio de um processo contínuo de construção coletiva com educadores da Rede.

 Objetivos específicos

• oferecer ao professor recursos pedagógicos digitais e formação na utilização destes recursos para complementar o desenvolvimento da sua aula e aprimorar a sua prática;

• tornar o processo de ensino e de aprendizagem em sala de aula mais diversificado, dinâmico e personalizado;

• disponibilizar ao aluno conteúdo digital para apoiar, recuperar ou complementar seus estudos, individualmente ou com o auxílio do professor.

Entre e participe…

Ricardo.

Filmes em sala de aula

tv_cinema
Utilizando filmes em sala de aula
Dicas e sugestões de atividades pedagógicas para o uso de filmes em sala de aula
Por Danielle Lourenço
A prática de uso de filmes em sala de aula é tão antiga quanto os videoplayers e suas fitas. Talvez você seja um professor mais novo e tenha vivenciado somente a fase do DVD player e dos DVDs discs e agora do Blu-ray.

O fato é que muitos são os momentos em que os filmes “comerciais” aparecem como elementos pedagógicos no contexto escolar.

Porém, apesar de ser um “velho conhecido” de todos, ainda existem equívocos, tabus e muito desconhecimento acerca desta valiosa prática pedagógica.

Os filmes são potentes recursos audiovisuais, que por meio do enredo, da trama, dos personagens, do lúdico, podem, quando utilizados de modo correto, promover excelentes experiências de aprendizagem! Trabalham com nossas experiências e emoções, abordando diferentes linguagens: falada, visual, musical e escrita.

Quando falamos em usar corretamente, é importante entender que:

a) A prática da projeção do filme em ambiente escolar deve estar alicerçada no planejamento de ensino. Não adianta levar os alunos para a sala de TV ou o vídeo para a sala sem definir exatamente o conteúdo que se deseja trabalhar.

b) O professor deve assistir ao filme com antecedência, marcando as partes, os elementos, as cenas que exemplificam e vivenciam o conteúdo pedagógico proposto, de modo a apontar estes itens durante a execução do filme.

c) Muitas vezes, não se faz necessário que o docente e os alunos assistam ao filme inteiro. Podem-se selecionar os trechos mais significativos que ilustrem e esclareçam a temática em questão.

d) Salvo em época de colônia de férias e para ambientes de educação infantil, o filme em sala de aula não é diversão ou passatempo. Desmistifique isso com seus alunos.

e) Prepare seus alunos para o filme. Em sala de aula, comente quais conteúdos pedagógicos serão “vistos” na projeção em questão, qual o período histórico, os elementos importantes e os vestuários.(grifo meu)

f) O item anterior fica totalmente revogado se a sua intenção for surpreender os alunos. Permita que assistam ao filme sem nenhuma orientação e depois retome o assunto em sala de aula, de modo a perceber qual a visão do grupo sobre o assunto, os conhecimentos anteriores que possuem e retome o conteúdo com base nas questões apresentadas por eles.

g) Todo mundo gosta de ver o filme. Isso é uma verdade incontestável. Portanto, assegure que o tamanho da tela da TV seja adequado e garanta a visibilidade do grupo todo. A mesma dica vale para o som. Do primeiro ao último aluno, todos devem estar ouvindo bem. Muitas vezes, os professores reclamam de indisciplina durante as projeções, mas ela pode ser causada pelo fato de que eles, simplesmente, não conseguem ler as legendas ou visualizar a televisão…(grifo meu)

h) Alguns docentes solicitam o preenchimento de uma ficha técnica do filme durante a execução dele. O recurso é válido, desde que os alunos tenham condições de preencher tal ficha… Há luminosidade? Há carteiras e cadeiras adequadas?

i) Os filmes apresentam erros conceituais? Ótimo! Aproveite a oportunidade para esclarecer o ponto em questão e também para desenvolver o senso crítico dos alunos, mostrando que nem tudo que está na TV, no filme, no comercial é correto e verdadeiro!

j) Nem só de filmes “prontos” vive a escola quando se fala em recurso audiovisual! Você pode utilizar comerciais, programas televisivos gravados, filmes disponíveis na internet como os disponibilizados para download no portal da Petrobras, além de solicitar que os alunos produzam seus próprios filmes!(grifo meu)

k) Curta o momento com seu grupo! Vale todo mundo no chão, com almofadas, pipoca e aquele clima de aconchego que todo mundo gosta de vivenciar e não esquece nunca!

Fonte:http://www.editorapositivo.com.br/editorapositivo/professoresecoordenadores/parasaladeaula/filmografia/leitura.htmlnewsID=317651292ad24d059a0658761ef4d0df

Para pensarmos o “Projeto 1 minuto pra pens@r”

Ricardo.

Cursinho para alunos da 3ª série.

Estudantes podem se inscrever no cursinho da Educação preparatório para o vestibular

PRU_logo240x180

O ano de 2014 ainda está começando, mas já é hora dos alunos da 3ª série do Ensino Médio iniciarem a preparação para a maratona de provas do vestibular do final do ano. Para isso, os estudantes contam com mais uma ferramenta de estudo, o cursinho preparatório para o vestibular online.

– Faça aqui sua inscrição

A plataforma, criada pela EVESP (Escola Virtual de Programas Educacionais) especialmente para os vestibulandos, já pode ser acessada e não é preciso fazer matrículas. Basta informar o registro do aluno para ter acesso e fazer o cadastro no cursinho. E se tiver dúvidas sobre a ferramenta, confira o vídeo ao lado com explicações sobre a navegação.

O conteúdo do cursinho online é interativo e oferece simulados baseados em questões e temáticas que caíram nos principais vestibulares realizados nos últimos 10 anos, como USP, Unicamp e Unesp. Além disso, a Secretaria também disponibiliza na mesma plataforma um simulado preparatório para o Enem.

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

O participante terá orientação simultânea sobre os erros e acertos das perguntas, com indicações dos conteúdos e materiais de referência que devem ser aprofundados em cada assunto e que podem ser levados para sala de aula e discutidos com os professores.

“A proposta é que os nossos alunos sejam ainda mais estimulados aos estudos e possam acessar o conteúdo de qualquer computador. O novo cursinho é mais uma ferramenta para preparar o jovem no início da sua carreira e para o ingresso no mercado de trabalho. Nossa gestão tem como compromisso a formação integral do jovem e o estímulo do projeto de vida”, afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

Ensino virtual para toda a rede estadual

O cursinho pré-vestibular é mais uma ação da EVESP (Escola Virtual de Programas Educacionais), órgão da Secretaria, que já oferece cursos, como espanhol, inglês, libras e com dicas da Defesa Civil para evitar acidentes domésticos e outros ocorrências. Todos os cursos são gratuitos e oferecidos para mais de 300 mil servidores e alunos da rede estadual.

Fonte: Site: http://www.educacao.sp.gov.br

Currículo+ em Ação

logo_tec_possibilidades

 

 

O curso Currículo+ em Ação foi criado para habilitar os profissionais do Quadro do Magistério (QM) da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEE-SP) para o uso da plataforma Currículo+.

 

As pré-inscrições para a 1ª Edição do curso Currículo+ em Ação estão abertas e deverão ser realizadas de 21 a 26 de fevereiro de 2014.

 

O profissional interessado deverá acessar o formulário de pré-inscrição disponível no canal “Pré-inscrições” deste hotsite.
Antes de efetuar a pré-inscrição, leia o Regulamento do curso.

Boa semana!

Ricardo.

Aula não precisa ser “show”…

 atenas
Prof. Jackislandy Meira de Medeiros Silva
Às vezes até mesmo nós, na condição de professores, somos tomados pelo embalo do momento em que a Educação se deixa virar facilmente para cultura do espetáculo. Uma cultura que imputa e dita suas regras em virtude do sistema econômico capitalista que, entre outras coisas, transforma o educador num animador de auditório e o estudante num cliente. Infelizmente, estamos sendo quase que forçados a abraçar uma causa da Educação voltada para o “vale tudo” desde que o estudante não saia da Escola ou da Universidade.
Estamos relativizando demais os critérios da aprendizagem. E isso se deve ao fato de aceitarmos exigências profissionais vindas de um sistema falido, sem compromisso com a Educação e submetido a quaisquer negócios de ordem financeira. Daí paira sobre nós esse discurso ideológico do sistema espetacular.
Que discurso é esse? É um discurso que prima por uma Educação sem reflexão, valorizando inúmeros estímulos como produtos da tecnologia e dos meios de comunicação de massa. Possibilita a descentralização da capacidade cognitiva do estudante, como também a incapacidade de concentração em atividades que demandam tempo de análise e capacidade reflexiva. “O tempo espetacular exige que a consciência se fragmente, de modo a captar a maior quantidade de percepções possíveis” (NUNES-BITTENCOURT, Renato. Educação sem reflexão no sistema espetacular. Conhecimento Prático. Filosofia, São Paulo, ano 7, ed. 46, p. 66, dez 2013/jan 2014).
O artigo de Renato Nunes-Bittencourt vai mais além nessa questão e realça, segundo ele, “os sintomas desse mal-estar cultural”. Repare:
“Na conjuntura educacional contemporânea, um dos sintomas mais evidentes desse mal-estar cultural reside na transformação do professor em um animador de auditório, ocorrendo assim a obrigação profissional de entreter o alunado com uma dinâmica imbecilizante, de modo a tratar sua turma como pessoas que se recusam a sair do estado de menoridade existencial” (idem).
Não podemos tratar nossos estudantes como clientes, mercadorias, cujo preço é o atendimento imediato de seus caprichos. Porém, é com respeito, apostando em suas potencialidades e faculdades para aprender que merecem ser tratados. Eles precisam sair da condição de meros espectadores das aulas e assumirem a posição de sujeitos autônomos, críticos à altura de qualquer desafio. Quem sabe até pudéssemos incitá-los ao diálogo para ultrapassarem a dimensão do espetáculo na sociedade e na sala de aula.
A respeito disso evoco aqui um episódio curioso sobre a vida de Platão mencionado nas Vidas e Doutrinas dos Filósofos Ilustres de Diógenes Laértios, onde traz o encontro dramático de Sócrates e Platão no contexto das Tragédias. Acostumado a frequentar o teatro e as festas dionisíacas, justamente no instante em que ia participar de um concurso de tragédias, Platão, ao ouvir aquele homem e seus argumentos de mestre, passa a segui-lo e joga seus poemas às chamas.
Veja que Platão ultrapassa sua condição de amante de espetáculos para se transformar em amante de espetáculos da verdade. No livro V da República, Platão escreve um diálogo importante entre Gláuco e Sócrates mostrando a distinção entre os que são apenas amantes de espetáculos e os que são amantes de espetáculos da verdade. Os verdadeiros estudantes, para Platão, devem ser filósofos. “Mas aquele que deseja saborear toda a ciência, que se entrega alegremente ao estudo e nele se revela insaciável, a esse chamaremos, com razão, de filósofo, não é assim?” Pergunta ironicamente Sócrates a Gláuco.
Os efeitos do sistema espetacular na Educação já se fazem sentir quando as aulas se tornam apenas mecanismo de animação, dinamização e sensacionalismo emocional, uma vez que só existem para prender a atenção e atender ao gosto da maioria (clientela). Ora, não estamos num palco ou num circo, muito menos num programa de “reality show”. A Aula não precisa ser um “show” para realizar o ensino e a aprendizagem. Aulas são feitas de provocação (problematização), trabalho, diálogo, investigação (pesquisa), conteúdo, muita leitura e reflexão. Quem se dispõe a ir à aula, deveria ir como se fosse ao trabalho. Só que é um trabalho diferente, um trabalho intelectual. Mas se chegar a um “show” ou se estiver assistindo a um espetáculo numa aula, queira ir mais adiante, assuma o controle, ultrapasse.
Segundo Libâneo, a aula:
“[…] não se aplica somente à aula expositiva, mas a todas as formas didáticas organizadas e dirigidas direta ou indiretamente pelo professor, tendo em vista realizar o ensino e a aprendizagem. [..] ela é toda situação didática na qual se põem objetivos, conhecimentos, problemas, desafios, com fins instrutivos e formativos, que incitam as crianças e jovens a aprender” (LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 28º Ed. São Paulo: Cortez, 2008. p.178).
Prof. Jackislandy Meira de Medeiros Silva
Bel. em Teologia, Bel. e Licenciado em Filosofia,

Esp. em Metafísica, Esp. em Estudos Clássicos.